quinta-feira, 19 de abril de 2018

«No creo en brujas, pero que las hay, las hay»



Ontem ficaram conhecidos os finalistas da Taça de Portugal desta época - Desportivo das Aves e Sporting seguem para o Jamor.

Foram necessários dois prolongamentos, nas Caldas, o Aves a perder por 1-0 no final do tempo regulamentar, virou o jogo no prolongamento com dois golos de Vítor Gomes.
O Aves chega à final com muito mérito e o Caldas fica pelo caminho, um caminho que foi bonito e sem mácula.

Em Alvalade, Coates aos 85 minutos empatou a eliminatória e o jogo foi para prolongamento. Nada se decidiu e o vencedor desta meia-final foi decidido nas grandes penalidades. Mais uma vez, o FC Porto foi incompetente e o Sporting competente.

Não me venham com o blá, blá da  'lotaria' dos penalties para justificar derrotas, para se ser eficaz nesta fase é necessário competência técnica, concentração máxima e sangue frio.
Se não me engano, o FC Porto desde 2010 que não consegue decidir um jogo a seu favor com um pontapé de penalty ou nas grandes penalidades. «No creo en brujas, pero que las hay, las hay»

P.S. Dizer que no jogo de ontem o Sérgio Conceição jogou para o empate, só pode ser uma brincadeira de mau gosto para menosprezar a vitória na Luz e pô-lo em pé igualdade com Rui Vitória, que, além de ser bom treinador, teve um dia menos feliz com as substituições.

Não foi isso que aconteceu com Sérgio Conceição na Luz nem em Alvalade. O que aconteceu foi simples, à beira do fim o Sporting necessitava de procurar mais o golo, normal que quem está na frente da eliminatória 'baixe' um pouco os sectores quando o outro pressiona. O Sporting pressionou e o FC Porto teve que 'baixar'. 
O Sporting demonstrou foi mais frescura física, em especial, no final da segunda parte e no prolongamento. Os leões chegam ao Jamor com todo o mérito.

1 comentário:

  1. Olha q não o chá na segunda parte da luz era forte e deixou marcas e os lagartos deram tanto cacete como os corruptos aí sim ganharam

    ResponderEliminar